Chile faz seu jogo, Brasil sofre, mas nos pênaltis garante classificação

Não faltou emoção! Brasil e Chile protagonizaram um jogo complicado, que precisou ser decidido nos pênaltis.

Emocionado por 2010, o goleiro Júlio Cesar defendeu duas cobranças e foi o protagonista da classificação brasileira.

 

Foto: Getty Images

451384372_820

 

Primeiro tempo

Brasi sai na frente, mas Hulk vacila e dá ''presente'' ao Chile

Em pleno início de tarde, Brasil e Chile começaram a se enfrentar no Mineirão. Com a principal mudança, esperada por muitos, de Felipão, que sacou Paulinho e colocou Fernandinho em seu lugar, a Seleção Brasileira, mesmo assim, não demonstrou uma melhora significativa no setor do meio-campo. O espaçamento quando a ligação é feita para o ataque continua sendo o principal problema brasileiro na Copa do Mundo

Diferentemente dos donos da casa, o time de Sampolli jogou ao seu estilo. É nítido e louvável a forma como é bem posicionado em todos os setores no campo. Quando defendem, procuram fechar todos os espaços. Quando estão no ataque, chegam com maior número sempre.

Independentemente dos problemas citados, mais na vontade do que na técnica ou tática, o Brasil foi ligeiramente melhor até sofrer o gol de empate e teve oportunidades de balançar as redes algumas vezes. Principalmente pelo lado esquerdo.

No entanto, após uma entrada logo no início da partida, Neymar não conseguiu decidir algumas jogadas, que, faltamente, decidiria se estivesse 100% confiante no seu físico.

Se a principal arma de Felipão não funcionou, a bola parada, sim. Sabendo da fragilidade da estatura da defesa chilena, os brasileiros exploraram o jogo áereo (foram 21 bolas jogadas na área), tendo conquistado o sucesso em um escanteio.

Depois de sair na frente, o Brasil continuou com seus erros, mas com a mesma vontade, e parecia que poderia voltar à segunda etapa com um resultado possível. Porém, o inesperado: Hulk, que até então vinha bem na partida, errou feio, juntamente com Marcelo na jogada, e entregou um gol de bandeja para Vargas, que tocou para Alexis Sanchez, que não teve dificuldades de mandar para as redes.

Quando teve a oportunidade, mesmo que o erro tenha sido do advesário, os chilenos mostraram porque são perigosos e preocupam Felipão.

Sabendo desta qualidade da 'La Roja', nesta primeira etapa, faltou leitura de jogo ao treinador da Seleção.

 

Segundo tempo/Prorrogação/Pênaltis

Chile volta melhor, vê Brasil perdido, mas partida é decida nos pênaltis

Se o jogo tava difícil, no segundo tempo tudo piorou. Emocionalmente melhor, o Chile já começou a impor seu ritmo. O Brasil mal posicionado, teve vários momentos ruins na etapa complentar. Faltou a equipe de Sampaolli poder de decisão; algo qe poucas seleções nesta Copa do Mundo podem contar.

Mesmo jogando melhor, se não tiver alguém que possa mandar a bola pra dentro, fica complicado. Hoje não diferente.

Sem poder de decisão, também faltou pernas ao final da segunda etapa, e principalmente no tempo extra, onde a equipe chilena pouco conseguiu fazer, mas quase fez. Aos 14 minutos do segundo tempo do tempo extra, tudo quase acabou para o Brasil. A trave, já nesta jogada, mostrava que seria um dos pontos principais no resultado da partida.

Nos pênaltis, Júlio Cesar conseguiu, tentando se redimir por 2010, defender dois pênaltis e viu a última cobrança chilena parar na trave. Brasil nas quartas, e Chile fora. No entanto, foi enorme. Esta eliminação não pode e nem deve apagar o futebol da Seleção do Chile nesta Copa do Mundo.

Agora, cabe ao Felipão corrigir os tantos erros demonstrados. Sem Luiz Gustavo, veremos se o técnico fará algo mais óbvio ou escalará, por exemplo, seu ''jogador de confiança'' Henrique.

Comentários